FACE LESTE DO PICO MAIOR

A Face Leste do Pico Maior, uma das escaladas mais clássicas do Brasil, é o sonho de qualquer escalador, seja pela grandeza da montanha, pela via ou desafio físico e psicológico. São aproximadamente 700 metros de escalada e seu cume atinge os 2.366 metros de altitude, sendo o ponto culminante da serra do mar. 

Nesse tipo de montanha o cume é realmente a metade do caminho, já que o rapel no Pico Maior não é algo trivial, característica que já proporcionou histórias de pernoite e resgates de escaladores perdidos. A descida não é simples, e localizar os grampos do rapel muitas vezes é a parte mais difícil da escalada.

 

A partir da porteira do Mascarim basta seguir pela estrada de terra batida, passando por um pasto, até uma placa que indica a entrada da trilha para o Pico Maior, Pico Médio e Pico Menor. Essa trilha passa a esquerda de uma casa, para depois cruzar um pequeno riacho e em seguida um portão de madeira. Nesse momento é preciso atenção, já que após esse portão a trilha segue para a esquerda. Essa trilha sobe na direção do Pico Maior, mas em dado momento existe uma bifurcação, para a esquerda fica o Pico Menor e o Médio, para a direita o Pico Maior. Seguindo por mais alguns minutos é possível localizar a base da Face Leste.

 

A via pode ser divida em duas partes, a primeira é o trecho inicial até o platô do "L", e a segunda segue da primeira chaminé até o cume, passando pelas enfiadas mais verticais, segunda chaminé, lances em artificial e o costão final.

 

A estratégia mais indicada para escalar a Face Leste com rapidez é fazer a primeira parte em simultâneo, fazendo uma eventual parada recolher as costuras. Já a segunda parte pode ser escalada no estilo tradicional, ou seja, um escalador por vez, fazendo as paradas nos locais indicados. Desta forma é possível fazer a via em um tempo razoável e ainda descer com a luz do sol.

 

O rapel pela Face Leste é possível somente com duas cordas de 60 metros, mas o recomendável é que seja realizado pela Sylvio Mendes, que fica na face oeste e é extremamente bem protegida, com muitas opções de grampos e paradas duplas. Também existe a opção do rapel pela Cidade dos Ventos, na face norte, que é mais direto e vertical, sendo aconselhável fazer com duas cordas de 60 metros.    

 

Grau de Dificuldade: 5º V A1/VI+ E3 D4 700 metros

Conquistadores: Guilherme Ribeiro, José Bezerra Garrido, Valdinar dos Santos e Waldemar Ferreira Guimarães 

Ano: 1974

  • Whatsapp
  • telefone
  • Contato Escaladas Clássicas
  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Escalada é um esporte de risco, acidentes graves e mortes podem acontecer com escaladores experientes e inexperientes. O conteúdo desse site não garante sua segurança ou o sucesso da escalada. Caso tenha o interesse de iniciar no mundo da escalada procure um instrutor qualificado e capacitado para essa atividade de risco elevado.

© Copyright - Escaladas Clássicas - Todos os direitos reservados