CHUVA DE PEDRA - CABRITOS

Conquistada em 07/10/2010, a via Chuva de Pedra tem sido uma das vias mais frequentadas no Morro dos Cabritos, devido a sua grampeação amistosa e graduação relativamente acessível. A via fica situada no Parque das catacumbas na face Sul do Morro dos cabritos na Zona Sul do Rio de Janeiro. É possível estacionar o carro na lagoa e seguir caminhando até o parque.

 

Para acessar a via basta entrar no parque, subir uma escadaria de pedra e raízes ao lado do quiosque, que fica próximo da entrada. Ao chegar no fim da escada você verá uma estátua de metal com outra escada ao lado. Suba por ela e entre na trilha que leva até um leito de rio seco a direita da estátua. Chegando no rio seco basta subir por ele até a parede. A Chuva de pedras é a segunda via a direita. A base pode ser facilmente identificada pelos restos de uma construção, ainda presa à pedra, da época em que havia uma comunidade carente aonde hoje se encontra o parque. O primeiro grampo da via fica localizado diretamente acima dos destroços. Da entrada do parque até a base da via leva-se aproximadamente 10 minutos.

 

A primeira enfiada protegida por 9 grampos é a mais fácil da via, com lances de terceiro e quarto grau, terminando em uma parada tripla compartilhada com a via Tamau.

 

A segunda enfiada, que é o crux da via, começa em um lance de sexto grau, bastante técnico, protegido por cinco grampos e termina em um pequeno platô. Após passar o crux, a segunda enfiada entra em um lance de quinto grau ligeiramente exposto, que termina em um platô aonde há uma parada dupla, sendo essa a P2.

 

A terceira enfiada começa para direita e sobe sempre tendendo para direita até uma parada dupla antes de uma barriga. Esta enfiada é protegida por 4 grampos e é basicamente um quarto grau.

 

A quarta e última enfiada passa por outro platô, que parece um buraco na parede, e tem seu crux graduado em quinto superior. Diferente do crux da segunda enfiada, que possui lances mais técnicos com agarras pequenas, esse lance é mais atlético e demanda um pouco de força. Após terminar esse lance, basta tocar por um lance longo e um pouco exposto, porém bastante fácil até a parada dupla que é o final da via.

 

Uma curiosidade sobre a via é que o nome dela não se dá devido à quebra de agarras e sim, pois, ao terminar a conquista, dois dos conquistadores foram atingidos por uma chuva de pequenas pedras enquanto debatiam sobre qual seria o nome da via. E por “intervenção divina” o nome da via passou a ser Chuva de Pedras.

 

Dificuldade: 4º VI E2 D1

Conquistadores: Ana Claudia Flosi, Ian Lima e Rodrigo Motta

Ano da Conquista: 2010

 

Texto: Rodrigo Motta

  • Whatsapp
  • telefone
  • Contato Escaladas Clássicas
  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Escalada é um esporte de risco, acidentes graves e mortes podem acontecer com escaladores experientes e inexperientes. O conteúdo desse site não garante sua segurança ou o sucesso da escalada. Caso tenha o interesse de iniciar no mundo da escalada procure um instrutor qualificado e capacitado para essa atividade de risco elevado.

© Copyright - Escaladas Clássicas - Todos os direitos reservados