A ETERNA SOLIDÃO - ESCALAVRADO

A Eterna Solidão fica localizada na face norte do Escalavrado, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Ela é uma via antiga, conquistada em 1985, mas ficou décadas sem repetições, até que recentemente foi reformada e modernizada.

Esse processo de reforma e modernização manteve o estilo de escalada com proteções móveis, logo somente algumas paradas foram duplicadas e proteções foram incluídas em lances mais longos, onde não havia a possibilidade de proteção móvel.

Para quem vai de carro a dica é estacionar no Paraíso da Serra, uma espécie de centro comercial com lanchonete, restaurante e mercado no lado direito da pista de subida, ainda na estrada, mas muito próximo de Teresópolis. Basta se orientar pelo telhado verde que é possível visualizar da estrada.

 

Com o carro estacionado nos fundos do Paraíso da Serra, basta descer pelo acostamento da estrada. A trilha de acesso fica localizada na margem da estrada, passando pela entrada da trilha do Dedo de Deus, entre a trilha da Normal do Dedo de Nossa Senhora e a trilha da Normal do Escalavrado. Apesar da trilha não ser muito frequentada, ela está muito bem sinalizada por fitas vermelhas e reflexivas nas árvores. ​

A primeiras seis enfiadas seguem por um incrível sistema de fendas e diedros, com alguns lances de aderência e agarras entre eles. Depois ela segue por mais quatro enfiadas até a crista do Escalavrado, alternando trechos em livre e em artificial fixo de chapas e parafusos.

 

A via ainda precisa de pequenos ajustes e mais frequência para que as fendas fiquem ainda mais limpas, mas de qualquer forma já é possível escalar com segurança. Recomenda-se dois jogos de BD Camalot do .3 ao 3, mais um 4 e talvez um 5, além de um jogo de micro. Alguns nuts de cabo podem ser úteis nos parafusos do artificial, além de ascensores mecânicos (jumar) e estribos. 

 

Apesar de trabalhoso devido as diagonais, o rapel pode ser feito pela própria via, preferencialmente com duas cordas de 60 metros. É importante ficar muito atendo para que a corda não fique presa nas fendas durante o rapel.

O croqui da via pode ser acessado no link do escaladas.com.br

Grau de Dificuldade: 5º VIIa A1 E2/E3 D3 350 metros

Conquistadores: Maurício Mota, Mario Arnaud e Nilton Campos

Ano da Conquista: 1985

A Eterna Solidão
A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado

A Eterna Solidão - Escalavrado