CORINGA - PÃO DE AÇÚCAR

A Coringa é uma via de escalada muito frequentada por iniciantes, já que é muito bem protegida e bonita, além de poder fazer cume emendando com o Costão ou outras vias da face leste. Ela fica na face sul do Pão de Açúcar e durante o inverno fica abrigada do sol durante quase todo o dia. 

 

Para acessar a sua base é preciso entrar na Pista Claudio Coutinho, no canto esquerdo da Praia Vermelha. A entrada da trilha é discreta e fica praticamente no final da pista, uma referência é uma lata de lixo laranja e um bloco de pedra no canto esquerdo da pista.  A entrada fica exatamente passando por cima desse bloco de pedra, seguindo para cima e passando por alguns boulders. Essa trilha segue por alguns blocos de pedra pequenos até chegar próximo da parede do Pão de Açúcar, onde é preciso seguir pela direita por um bosque relativamente aberto.

Obs: Seguindo pela esquerda ficam as vias do Totem, como a Gallotti, Lagartão e Stop.

 

A trilha nesse bosque é bem definida e logo no início existe uma clareira, que é a base da via Alfredão. Seguindo mais um pouco será preciso cruzar uma pequena laje de pedra e logo depois um costão. Subindo por esse costão é possível acessar a base da Ás de Espadas e da Coringa, mas a Ás de Espadas segue para a esquerda, enquanto a Coringa fica para a direita. Como esse setor do Pão de Açúcar é muito frequentado, geralmente é possível localizar as vias com certa facilidade, mas existem alguns atalhos que podem confundir a orientação.

 

A primeira enfiada segue por uma rampa fácil, mas depois existe um lance de agarrência delicado, cotado como terceiro superior. Depois a enfiada segue até uma barriga, onde de é preciso costurar e descer em diagonal para a direita até um platô com parada dupla. Nesse lance é importante costurar o grampo da barriga e seguir para a parada dupla, assim é possível evitar um pêndulo do participante. 

 

A segunda enfiada pode começar de duas formas, seguindo em diagonal para a esquerda e escalando o lance barriga cotado em quarto grau, ou seguindo reto. Recomento que o lance seja feito pela barriga, já que a enfiada fica mais bonita!

Saindo em diagonal para a esquerda é preciso costurar e superar uma barriga de quarto grau, mas existem boas agarras para ajudar no lance. Depois a via segue para cima, sempre na casa do terceiro grau com agarras pequenas. No final dessa enfiada, logo abaixo da parada dupla, é preciso passar por outra barriguinha, onde o grau está cotado como terceiro superior.

A terceira enfiada segue reto para cima, sempre na casa do terceiro grau, com lances de agarras pequenas até uma parada dupla. No final dessa enfiada existe um crux, que deve estar cotado na casa do terceiro superior, logo abaixo da parada dupla.

 

A quarta enfiada é curtinha! Ela segue em diagonal para a direita, por lances de terceiro grau, passa por um grampo e finaliza em um platô sem grampos. A segurança do participante deve ser feita utilizando alguns blocos ou fazendo segurança de platô.

 

Para finalizar é possível descer a trilha do Costão em direção a pista Claudio Coutinho, ou seguir o Costão em direção ao cume. De qualquer forma, existem diversas opções para fazer cume, pegando as vias da face leste. 

Grau de dificuldade: 3º IV E1 D1 100m

Conquistadores: Giuseppe Pellegrini, Paulo Ferreira e Denise Emmer

Ano da Conquista: 1981

  • Whatsapp
  • telefone
  • Contato Escaladas Clássicas
  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Escalada é um esporte de risco, acidentes graves e mortes podem acontecer com escaladores experientes e inexperientes. O conteúdo desse site não garante sua segurança ou o sucesso da escalada. Caso tenha o interesse de iniciar no mundo da escalada procure um instrutor qualificado e capacitado para essa atividade de risco elevado.

© Copyright - Escaladas Clássicas - Todos os direitos reservados